Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/eroni/public_html/wp-content/themes/BlueFood-Chef/header.php:2) in /home/eroni/public_html/wp-content/themes/BlueFood-Chef/index.php on line 7

Últimos artigos

PostHeaderIcon FERRITINA

FERRITINA

A ferritina é uma proteína produzida pelo fígado, cujas funções básicas são: carregar ferro e indicar se existe processo de inflamação no organismo.

Quando há um processo inflamatório, a ferritina eleva-se – ou seja: diante de um resfriado, gripe, pneumonia, gastroenterite e, até mesmo, gengivite, os níveis podem subir rapidamente. Nesses casos, a produção de ferritina pode até triplicar sem haver nenhum aumento na quantidade corporal de ferro. Outras condições que causam o aumento da ferritina são as doenças do fígado (cirrose, hepatites, esteatose), a obesidade, síndrome metabólica e também o alcoolismo. Entao, nem sempre esse aumento significa sobrecarga de ferro. Para que seja comprovado que o ferro está em excesso é necessário um exame de saturação de transferina. Pois o aumento pode ter sido causado por uma inflamação conforme mencionado. A sobrecarga de ferro acumula radicais livres prejudicando o funcionamento de diversos órgãos como: principalmente ao fígado, coração, vasos sanguíneos e glândulas como tireoide, pâncreas e testículos. Podendo ainda causar doenças degenerativas como a aterosclerose e a doença de Alzheimer.  Diferentemente de outros minerais, o ferro é facilmente absorvido pelo organismo e apresenta, por outro lado, uma eliminação mais complicada, Por isto favorece, dessa forma, o seu acúmulo.

Caso seja indicada, a sangria terapêutica (flebotomia) é feita em bancos de sangue, com indicação médica, e apresenta ótimos resultados. Em alguns casos, até mesmo doações de sangue freqüentes podem ser indicadas como caráter preventivo. Mesmo quando uma sobrecarga de ferro não está presente, essa situação de ferritina alta deve sempre ser encarada como um sinal de alerta, pois sem tratamento pode provocar também diabetes.

Se for constatado a sobrecarga de ferro, é recomendada a restrição da ingestão do mineral, além do cuidado de não ingerir suplementos alimentares que possam contê-lo, ou então ter vitamina C em sua fórmula –  lembrando que essa vitamina facilita e muito a absorção de ferro nos intestinos. Entre outras medidas, volto a falar na “dupla digestiva”: algumas pesquisas apontam que o uso de café e chá verde logo após uma refeição contendo ferro diminua a absorção do mineral. Alimentos ricos em cálcio, como leite, podem também exercer o mesmo efeito.

Quando está elevada, os sintomas apresentados são: dores nas articulações; fadiga; fraqueza; dor abdominal; redução da libido; problemas cardíacos.

Já o baixo nível de ferritina indica uma deficiência crônica de ferro, sendo que este quadro tem sido relacionado à síndrome das pernas inquietas, além de poder indicar a presença de hipotireoidismo e deficiência de vitamina C.

MEDIDAS PREVENTIVAS:

(utilizar carne vermelha no máximo 2 x semana
Utilizar alimentos fontes de Cobre e Zinco duas vezes ao dia,

ALIMENTOS RICOS EM COBRE: nozes, castanha, crustáceos, uva passa e abóbora

ALIMENTOS FONTES DE ZINCO:

Ostra crua sem concha, agrião fresco, farelo de trigo, tahine(pasta de gergelim),

Cogumelos frescos, semente de abóbora, broto de alfafa, escarla, salsinha fresca, carne assada, acelga, peru, carne escura, aveia lentilha, espinafre fresco.

Procurar tomar chá verde, chá mate, ou chimarrão antes e depois das refeições para diminuir a absorção de ferro.

Obs: a folha de mandioca impede a absorção do ferro
Proteínas de origem animal, tais como as do ovo, do leite, do queijo e proteínas vegetais, tal como as da soja, diminuem a absorção do ferro. Os fitatos, os polifenois e as fibras constituintes dos cereais reduzem a absorção do ferro presente nestes tipos de alimentos. É importante saber que a ingestão de um copo de suco de laranja aumenta a absorção do ferro em 2,5 vezes.

O chá mate reduz em 70% à absorção do ferro e o café em 30%,

Outro fator importante no balanço do ferro é o exercício físico. Quando a atividade física é normal perde-se pelo trato gastrointestinal, suor e urina, cerca de 1.0 mg de ferro ao dia. Se corrert longas distâncias pode perder 2,3 mg de ferro ao dia.

Eroni Lupatini: CRN 4298.graduada pela  Faculdade Assis Gurgacz. Especialista em Docência do Ensino Superior – UNIPAN. POS GRADUANDA  EM – NUTRIÇAO FUNCIONAL E FITOTERAPIA- INST.ANA PAULA PUJOL- Extensão universitária em: Efeitos Fisiológicos do Exercício Resistido para sobrepeso e obesidade – Fitoterápicos e Obesidade –  Desintoxicacao e Fitoterapia. -TErmogênicos – Resistencia  à Insulina Dietoterapia Vegetariana – Fitoterapia para Nutricionistas. –Nutrigenética e Câncer – Cuidados nutricionais e metabólicos pré e pró cirurgia bariátrica; Nutrição e Suplementação especializada no esporte: da teoria à prática; Nutrigenômica e Nutrigenética: implicações práticas na nutrição clínica; Nutrição e Saúde nos ciclos de vida da mulher: suplementação de nutrientes e fitoterápicos; Funcionais, fitoterápicos e suplementos. Workshop de Fitomedicina e Fitoterapia aplicados à nutrição; Nutrição esportiva funcional; Capacitação em dietoterapia vegetariana- Fisiologia da obesidade, da síndrome metabólica e da redução do peso corporal; Nutrição na terceira idade: do diagnóstico ao tratamento; entre outros. Atendimento a gestantes, lactentes, crianças, adolescentes, adultos e idosos e em pré e pró-gastroplastia. Fitoterapia aplicada a nutrição. Terapia Floral-, auriculoterapia.

PostHeaderIcon POLUENTES AMBIENTAIS

POLUENTES AMBIENTAIS –

Em 2005 o doutor L. Cordain publicava artigos em que mostrava que a fisiopatologia das doenças crônicas da vida moderna é regulada pela dieta, pela suscetibilidade genética e pela exposição a agentes poluentes ambientais. Mudamos nosso padrão alimentar para uma dieta altamente industrializada, com excesso de calorias vindas de alimentos ricos em açucar e gordura e o consumo exagerado de álcool. (SAVIOLI, 2013)

A autora rela em seu livro que houve um aumento do consumo de proteínas de origem animal, açúcar, gordura trans, produtos industrializados e principalmente biscoitos e refrigerantes. E uma diminuição do consumo do arroz, feijão, gorduras de boa qualidade, frutas e hortaliças. O refrigerante aumentou seu consumo em 400% no Brasil. E é uma das principais fontes de açúcar. Os estados Unidos tem dado ênfase através de especialistas de nutrição e saúde, sobre os malefícios do açúcar. Já existe por lá movimento sólido contra o consumo dos mesmos. Uma latinha de refrigerante normal tem 150 calorias e o equivalente a 10 colheres de açúcar. Um adulto que consuma uma lata por dia chegará ao longo de um ano com 7 kilos a mais na balança.

Uma criança é exposta em várias fases de sua vida a alimentos que contribuem para o desenvolvimento da obesidade. Infelizmente poucos cozinham, (para nao perder tempo) pois tempo é considerado dinheiro. Porém a ciência está mostrando que a qualidade do alimento interfere, e muito no desenvolvimento da obesidade.

Toxinas utilizadas no campo para aumentar a produtividade e diminuir o tempo de crescimento das culturas tem impacto importante no ambiente e qualidade nutricional dos alimentos consumidos. Toxinas que contaminam a agua, poluem o ar, diminuem a biodiversidade e mesmo se vierem a ser proibidas, permanecerão no ambiente por vários anos, pois são de difícil degradação. As toxinas tem uma relação direta com o desenvolvimento da obesidade, pois agem como disruptores endócrinos ou seja, ocupam os receptores hormonais do nosso corpo.

As toxinas também podem entrar no organismo através dos produtos animais consumidos, potencializando o ganho de peso e causando outros problemas relacionados com a obesidade. Peixes e outros animais marinhos, particularmente os mais gordurosos, frutos do mar e os grandes predadores como Cação, possuem maior nível de contaminação . Por isso se deve consumir peixes de menor porte como sardinha que é de fácil disponibilidade e baixo custo. Importante que se peça aos fabricantes de suplementos a base de óleo de peixe (os ômegas) para apresentar laudos da composição do conteúdo de suas capsulas para evitar que não tenham sido fabricadas com peixes contaminados.

Estamos cercados por toxinas desde nossa alimentação ate os produtos de higiene pessoal que também são considerados xenobióticos (substancias químicas que entram em nosso organismo e podem interferir na produção, liberação, transporte, metabolismo, na ligação ou eliminação dos hormônios naturais responsáveis por nossa saúde

Alguns produtos como desodorantes spray, perfumes industrializados para ambientes, ou pessoais contém compostos químicos (xenobióticos) que agem como disruptores endócrinos. A recomendação da Dra Gisela Savioli é de substituir o desodorante habitual, pela aplicação de leite de magnésia de Philips nas axilas.

Um dos grandes contaminantes ambientais de hoje chama-se bisfenol A (BFA) um composto que vem sendo utilizado na fabricação de plásticos policarbonatos (mamadeiras, pratos, copos, xícaras, garrafões de agua reutilizáveis e uma infinidade de outros produtos de plástico), bem como nos recipientes e embalagens à base de resina epóxi (latas de conserva, de bebidas e outros tipos de acondicionamento destinado a alimentos, bebidas e cosméticos, inclusive para bebês) O bisfenol A age como um disruptor endócrino, ou seja como um desregulador do sistema hormonal. Dentro do corpo, ele age, como xenoestrógeno, (imita efeitos do hormônio feminino estrógeno). Sao facilmente estocados no tecido adiposo e podem ser transferidos da mãe par ao filho, durante a vida intrauterina, via placenta, e também durante a amamentação pela gordura presente no leite materno. As substancias toxicas como o bisfenol, são causas de obesidade. Por isso é fundamental a redução do seu consumo para o sucesso da perda de peso. Garrafas pet podem liberar substancias estrogênicas na agua. Esses estrogênios ambientais se ligam a receptores específicos do organismo e contribuem para o câncer e obesidade e causam resistência na perda de peso. (Evitar levar garrafa pet no carro).

A Fiocruz (Fundação Osvaldo Cruz apresentou um trabalho onde se verificou que todos os filmes plásticos analisados apresentavam teores de um metabólico dos ftalatos (outro xenoestrógeno) chamado DEHP muito superior ao limite permitido por lei. Os principais alimentos contaminados com essa toxina foram: peito de frango, carne bovina, pizza, coxa de frango e mussarela. (por isto ao consumir frios, prefira fatiar na hora e, se possível peça para colocar um papel em cima deles antes de passar o filme plástico.

O tecido adiposo é um grande reservatório de toxinas, e a pessoa obesa tem uma facilidade enorme de estocar, principalmente os poluentes orgânicos persistentes (pesticidas, plásticos, gordura animal, entre outros)

Conselhos uteis:

  • Dar preferencia ao aleitamento materno. Se necessário, usar mamadeira de vidro. Ou mamadeira de plástico sem bisfenol. Jamais esquentar mamadeiras de plástico contendo comida ou bebida nem colocar comida ou bebida aquecidos dentro delas.
  • Nunca esquentar comida ou bebida em recipiente de plástico ou com revestimento que contenha bisfenol A, e nunca colocar bebidas ou comidas aquecidas nesses recipientes.
  • Evitar lavar mamadeiras e outros recipientes que contenham bisfenol A em lava-louças com altas temperaturas.
  • Guardar a comida sempre em vidro, cerâmica ou em recipientes de aço inoxidável.
  • Nao esquentar a pizza no microondas, na embalagem de papelão que é entregue(o revestimento interno, contém bisfenol A!.
  • PARA REMOVER AGROTOXICOS DOS VEGETAIS utilize SOLUCAO DE IODO 2% –

5 ml para 1 litro de agua, cobrir com pano escuro, deixar os vegetais por 1 hora

depois lavar muito bem e utilizar

 

fontesÇ

SAVIOLI, Gisele. Tudo posso, mas nem tudo me convém. 14 ed. São Paulo, Ediçoes Loyola, 2013

RIBEIRO, Lair, COMO ELIMINAR OS AGROTÓXICOS DOS ALIMENTOS! Em https://www.youtube.com/watch?v=u7AYohS10wc

Eroni Lupatini: graduada pela Faculdade Assis Gurgacz. Especialista em Docência do Ensino Superior – UNIPAN. Extensão universitária em: Resistência à Insulina -Dietoterapia Vegetariana – Fitoterapia para Nutricionistas. –Nutrigenética e Câncer – Cuidados nutricionais e metabólicos pré e pró cirurgia bariátrica; Nutrição e Suplementação especializada no esporte: da teoria à prática; Nutrigenômica e Nutrigenética: implicações práticas na nutrição clínica; Nutrição e Saúde nos ciclos de vida da mulher: suplementação de nutrientes e fitoterápicos; Funcionais, fitoterápicos e suplementos. Workshop de Fitomedicina e Fitoterapia aplicados à nutrição; Nutrição esportiva funcional; Capacitação em dietoterapia vegetarianaFisiologia da obesidade, da síndrome metabólica e da redução do peso corporal; Nutrição na terceira idade: do diagnóstico ao tratamento; entre outros. Atendimento a gestantes, lactentes, crianças, adolescentes, adultos e idosos e em pré e pró-gastroplastia. Fitoterapia aplicada a nutrição. Terapia Floral- MTC – ortomolecular, auriculoterapia. CRN 4298.

PostHeaderIcon MENOPAUSA E ALIMENTAÇAO IDEAL

MENOPAUSA E ALIMENTAÇAO IDEAL

 

A menopausa é o momento em que os ovários deixam de produzir os hormônios estrógeno e progesterona.

A principal característica desta fase é a ausência de menstruações, porém, a menopausa pode começar a se manifestar por irregularidades menstruais, menstruações escassas, menstruações mais ou menos freqüentes. Não existe idade predeterminada para a menopausa. Geralmente ocorre entre os 45 e os 55 anos, no entanto pode ocorrer a partir dos 40 anos sem que isto seja um problema.

Alguns sintomas da menopausa são: ondas de calor, suor noturno, insônia, menor desejo sexual, irritabilidade, depressão, entre outros. Neste período a incidência de osteoporose e risco de doenças cardiovasculares aumenta, devido à baixa de estrogênio no sangue.

A diminuição dos níveis de estrógeno afeta a textura da pele e a composição corporal da mulher. Devido ao comprometimento na produção de colágeno ocorre perda de elasticidade da pele e dos vasos sanguíneos, assim como há a diminuição da massa muscular e o aumento da concentração de gordura corporal na região abdominal.

À medida que a produção do estrógeno cai, as taxas de colesterol e triglicérides no sangue aumentam, a absorção e a captação do cálcio pelos ossos fica prejudicada e assim surgem os riscos para o desenvolvimento das doenças cardiovasculares e da osteoporose.

ORIENTAÇÕES GERAIS:

  • Aumentar o consumo dos alimentos que são fontes de cálcio (leite e iogurte desnatados, queijos brancos e magros)
  • Ingerir outros alimentos ricos em cálcio e vitamina D: produtos hortícolas de folhas largas e verde escuro e ovo;       Expor-se ao sol em horários benéficos (até as 10:00 e após 16 horas) para força muscular, e para absorção da Vitamina D é necessário o horário de 11 às 13 por 10 minutos 2 a 3 x semana sem filtro solar. Ovos são fonte de tiamina e niacina (vitaminas do complexo B que colaboram com o bom humor.Ricos também em vitamina E e Vitamina B6 precursora de dopamina. Fonte riquíssima também de luteína (age como tônus da retina, evitando degeneração macular ou seja protege a visao) A metionina e a colina, ajudam na produção de neurotransmissores. Recomendação: após 50 anos é excelente consumir diariamente até 3 (em omelete, ou na água).
  • Não consumir, na mesma refeição, alimentos que são fontes de cálcio (leite, queijos e iogurtes) e alimentos fontes de ferro (carnes). O cálcio prejudica a absorção do ferro;
  • Maior exposição ao sol com um pequeno passeio ao fim da tarde ou ao princípio da manhã;
  • Parar de fumar; quem fuma nao absorve vitamina C. E sem vitamina C o risco de resfriados é maior e cicatrização prejudicada.
  • Investir em relacionamentos afetivos saudáveis, uma vida sexual satisfatória, são fatores que colaboram para aumentar a auto estima e viver bem na menopausa ou andropausa
  • Uma boa noite de sono de no mínimo 5 horas, em ambiente totalmente escuro, favorece o bom humor, e libera melatonina (hormônio da alegria) que ajuda muito contra depressão. Uma noite em claro estimula produção de grelina, hormônio que aumenta a fome, além de reduzir o ritmo do metabolismo. Durante o sono é liberado um hormônio chamado leptina que ajuda na sensação de saciedade.
  • Praticar exercícios físicos regularmente ao menos 30 minutos 3 x na semana o ideal é todo dia, (caminhadas e corridas leves) que auxiliam na manutenção do peso corporal ideal, reduzem a pressão arterial, fortalecem os ossos e previnem a osteoporose e as cardiopatias; Exercícios regulares liberam endorfinas que ativam a produção de serotonina (hormônio do humor); que normalmente na menopausa ou andropausa as taxas estão baixas. Algumas substâncias podem acelerar o processo de produção de serotonina: “ o triptofano, precursor da mesma, regula a sensações de fome e bem-estar, é encontrado na banana, feijão, chocolate. O mel também estimula a produção de serotonina. Uma colher de sobremesa ao dia misturada com água é o suficiente.
  • A alimentação é outro meio de estimular hormônios do bem estar. Procurar consumir alimentos ricos em magnésio, cromo e cálcio, que ajudam no controle do peso e no metabolismo de carboidratos e gorduras. O cromo é encontrado na aveia, amêndoa, avelã, castanha-do-pará, figo seco, marisco, bife de fígado, lula e queijo branco. O magnésio na couve, castanha de caju, filé de linguado, lula marisco, peito de frango, tofu, cebola e gérmen de trigo
  • Apenas 10% da serotonina são produzidos no cérebro, o restante é sintetizado pelo intestino. Portanto ele deve estar sempre em perfeito funcionamento. Consumir um Yakult diariamente em jejum ou lactobacilos com bifidum bacterium, auxilia numa boa flora intestinal. Chá de sálvia ou alfavaca também contribui para boa flora intestinal.
  • Técnicas de relaxamento e meditação ajudam a tolerar mais facilmente os sintomas do climatério, menopausa e andropausa
  • A pressão arterial, glicemia, os níveis de colesterol e triglicérides devem ser monitorados e acompanhados; Como também os níveis de tsh, que normalmente ficam alterados nesta etapa da vida.
  • A alimentação deve ter uma redução de 200 a 400 kcal diárias, ser pobre em açúcar e sódio, em carboidratos (dar preferencia sempre aos integrais, conter gorduras boas como abacate e as oleaginosas, e rica em frutas, água, fibras, vegetais e grãos.
  • Evitar completamente o consumo de gorduras trans como da margarina, bolachas recheadas e waffers e óleos vegetais nao confiáveis como canola, soja e milho (por serem transgênicos)
  • Consumir diariamente, no mínimo, 5 porções de hortaliças e 3 de frutas;
  • As mulheres devem incluir o inhame (contribui na produção do estrogênio) e fortifica os gânglios linfáticos, que são os postos avançados de defesa do sistema imunológico, e os homens aumentar o consumo de alimentos que aumentam testosterona como a casca da melancia e feijão que é rico em zinco.
  • Inclua sementes de linhaça na sua alimentação diária. A linhaça contém lignanas, um tipo de fitoestrógeno utilizado como alternativa de TRH (Terapia de Reposição Hormonal);
  • Inclua 10 gramas de colágeno em pó diariamente (melhor hora consumir é ao deitar-se)
  • Evite as bebidas alcoólicas;
  • Tome, ao longo do dia, muita água e chás de folhas verdes (cidreira, melissa, hortelã, etc);
  • Consuma soja orgânica e derivados. Dietas com baixos teores de gordura animal e colesterol que incluem 25 gramas de proteína de soja diários, podem diminuir os riscos das doenças do coração.

Uma alimentação correta, equilibrada e suplementos alimentares, como complexo B, aliviam os sintomas comuns desta fase. Alimentos com quercetina (maçã e cebola), coenzima Q10 (sardinha e aveia), ipriflavona e isoflavona (soja orgânica), minerais como o boro (frutas não cítricas como pêssego, abacaxi, legumes e castanhas), e fitoterápicos como vitex agnus castus e angélica sinensis, amora, yam mexicano, melissa,homeopatia como lachesis são a chave do sucesso

O Suco de cenoura e couve-flor para manter o equilíbrio hormonal é um excelente remédio caseiro uma vez que a couve-flor é rica em Niacina, mais conhecida como vitamina B3 que ajuda a regular os hormônios e a equilibrar os neurotransmissores do cérebro.

Recentemente os cientistas descobriram que o extracto de vegetais pertencentes à família das crucíferas como o brócolo, couves-flor, couve de Bruxelas entre outros, continham uma substância reguladora do equilíbrio hormonal, capaz de eliminar a H.pylori (mesmo quando esta resiste aos antibióticos) e mais importante ainda, com capacidades anticarcinogénicas. Essa substância identificada posteriormente dá pelo nome de indole 3-carbinol (I3C). O I3C é um metabolito secundário das plantas, ou seja, só se forma quando as células vegetais rebentam ou são comidas.Aqui vai uma receita que contém estas substâncias preciosas:

Receita do Suco de cenoura e couve-flor e brócolis para manter o equilíbrio hormonal Ingredientes

150g de couve-flor; 100 gramas de brócolis (pode ser somente o talo)

2 cenouras;

½ xícara de salsa;

Modo de preparo

lavar bem as cenouras, cortá-las em pequenos pedaços e separar a couve-flor em raminhos, e o brócolis todo ou so talos.Posteriormente adicione todos os ingredientes no tubo alimentar da centrífuga para que sejam reduzidas a suco. Beba esta suco no inicio do dia e aproveite os seus benefícios. (se não possuir centrífuga pode ser no liquidificador (consuma coado e aproveite os resíduos para uma torta salgada com farinha integral)

O desequilíbrio hormonal  pode ocorrer tanto nos homens como nas mulheres, principalmente a partir dos 40 anos de idade, quando entram na fase da menopausa e da andropausa. Esse desequilíbrio causa modificações no funcionamento fisiológico e psicológico do sujeito, que tende a ficar mais irritado, com sintomas depressivos e mal-estar. Os alimentos são importantes para manter o equilíbrio hormonal, mas as vezes é necessário fazer uma reposição dos hormônios, logo um médico deve ser consultado, para que seja realizada uma intervenção de acordo com o caso do paciente.(prefira uma reposição de bioidenticos)

 

Contribuição.

http://annanutrivida.blogspot.com/2009/02/recomendacoes-nutricionais-na-menopausa.html

http://www.minhavida.com.br/materias/alimentacao/Reduza+os+sintomas+da+menopausa+com+a+alimentacao+certa.mv

http://www.idmed.com.br/nutricaoMateria.php?sessao=nutricao&topico=3&materia=15

http://www.vivaleve.com.br/ALIMENTA%C7%C3O%20NA%20MENOPAUSA.htm

Eroni Lupatini: graduada pela Faculdade Assis Gurgacz. Especialista em Docência do Ensino Superior – UNIPAN. Extensão universitária em: Resiência à InsulinaDietoterapia Vegetariana – Fitoterapia para Nutricionistas. –Nutrigenética e Câncer – Cuidados nutricionais e metabólicos pré e pró cirurgia bariátrica; Nutrição e Suplementação especializada no esporte: da teoria à prática; Nutrigenômica e Nutrigenética: implicações práticas na nutrição clínica; Nutrição e Saúde nos ciclos de vida da mulher: suplementação de nutrientes e fitoterápicos; Funcionais, fitoterápicos e suplementos. Workshop de Fitomedicina e Fitoterapia aplicados à nutrição; Nutrição esportiva funcional; Capacitação em dietoterapia vegetarianaFisiologia da obesidade, da síndrome metabólica e da redução do peso corporal; Nutrição na terceira idade: do diagnóstico ao tratamento; entre outros. Atendimento a gestantes, lactentes, crianças, adolescentes, adultos e idosos e em pré e pró-gastroplastia. Fitoterapia aplicada a nutrição. Terapia Floral- MTC – ortomolecular, auriculoterapia. CRN 4298.

Artigos
Meu Twitter: