PostHeaderIcon ESTRESSE: APRENDA A LIDAR COM ELE

ESTRESSE: APRENDA A LIDAR COM ELE

 

O médico psiquiatra Leonard  Verea,  diz que na medida certa o estresse pode ser positivo. “Ele é positivo em sua fase inicial, a do alerta, quando o organismo produz adrenalina, que dá ânimo, vigor energia, fazendo com que  sejamos mais produtivos e criativos.  Mas o organismo não suporta ficar em alerta por muito tempo.  O estresse crônico prejudica o sistema imunológico e deixa o organismo mais exposto a doenças  infecciosas.  Em alerta sempre, os hormônios do estresse produzem uma sensação contínua de ansiedade, de incapacidade e de catástrofe iminente.

Os altos níveis de cortizona podem aumentar os batimentos cardíacos, elevar a pressão sanguínea, além dos níveis de colesterol e triglicérides. A cortizona favorece também  o acúmulo de gordura abdominal.

O Estresse piora doenças dermatológicas, como psoríase, eczemas, urticária, acne, e é um dos desencadeantes dos ataques de asma.  Segundo o médico, os sinais iniciais costumam aparecer em atividades do dia a dia, mas muitas vezes só são notados quando surge alguma doença. “O que antes parecia simples, torna-se complicado. O que dava satisfação começa a irritar.

Em vez de esperar até que patologias como depressão, asmas, gastrite, infarto e alguns tipos  de câncer se desenvolvam, o psiquiatra recomenda prestar atenção a alterações de comportamento, diminuição do rendimento na escola ou no trabalho, insatisfação, irritabilidade, indecisão, insônia, sono agitado, falhas de concentração e memória, dedicação excessiva ao trabalho – e cada vez menor lazer – redução do entusiasmo pelo que acontece à volta e sensação de monotonia são outros sinais de alerta.

O que acontece depois como consequência  é: cansaço, ganho ou perda de peso, má digestão, prisão de ventre e diarreia, gases, gastrites, úlceras, baixa de resistência, infecções, gripes, pressão arterial alta, dores de cabeça e musculares etc.

Para manter o estresse sob controle, é preciso mudar a maneira de encarar os acontecimentos,  evitar superdimensioná-los e procurar relaxar com música clássica ou suave, sair para dançar, divertir-se etc.

Massagens para distensionar os músculos e atividade física de pelo menos 30 minutos diária, são fortes aliados. Antes de reagir de forma intempestiva, deve-se respirar fundo e contar até 10 e indagar-se: será que vale a pena estressar-se por tão pouco?

 

DICAS DE COMO LIDAR COM O ESTRESSE

  1. Evitar pensamentos negativos. Nosso pensamento é extremamente poderoso. Devemos usá-lo a nosso favor. Procurar fixar-se nos aspectos positivos da situação e não nos negativos.
  2. Dormir bem. Com quarto totalmente escuro por pelo menos 5 horas libera a melatonina que é o hormônio do sono, do bem estar e antidepressivo.
  3. Evitar comer fora dos horários. Assim como o estresse pode prejudicar o sono, pode levar a comer mal, como comer por impulso por exemplo. Tudo contribuindo para alimentar o ciclo vicioso: engordar e comer mal  faz mal à  saúde e pode nos deixar mais estressados e com o sono descompensado.
  4. Repensar os relações.  As relações profissionais e pessoais são uma faca de dois gumes: podem determinar nosso nível de estresse e também  ajudar, pois em situações difíceis, busca-se apoio da família, amigos e, mesmo em colegas de trabalho. Se isso não for possível, trocar de namorado, amigos ou trabalho pode ser o melhor a ser feito. Pense nisso.
  5. Não se cobrar demais.  Quando muito cansados, mesmo em decorrência de atividades prazerosas, nos sentimos mais cobrados, e portanto mais estressados. Reduzir o ritmo de atividades em períodos de estresse é a melhor maneira de se proteger.
  6. Fazer exercícios. A atividade física ajuda a descarregar o estresse imediatamente e a adquirir certa resistência  a ele. Ao exercitar o corpo  libera endorfinas para produção de serotonina que é o hormônio ligado à sensação de bem-estar.
  7. Aprender a administrar o estresse. Estressados tender a ser reativos, em vez de proativos, o que costuma trazer mais aborrecimentos. Uma ideia é estabelecer um plano de ação para não deixar que o estresse se acentue. Ou procurar ajuda profissional.
  8. Alimentação adequada. Com uma alimentação regrada, é possível combater ou reduzir os sintomas dessa doença que atinge 70% dos brasileiros. As hortaliças verde-escuras, assim como as frutas e legumes ricos em vitaminas, como a cenoura, são grandes aliados de uma nutrição rica e eficiente no combate ao stress. Castanha do pará, damasco, chia, painço, linhaça, cúrcuma, chá verde, alcachofra, peixes e frutos do mar são ótimos aliados também.
  9. Os alimentos antioxidantes, responsáveis por atacar as toxinas absorvidas pelo organismo ao longo de um dia, também são fundamentais. As principais fontes de antioxidantes são as ‘berrys’, frutas da família do morango, amora, mirtilo e cranberry, e o  cacau.
  10. Semente de girassol, gergelim e abóbora. Ricas em zinco e proteínas que estimulam o metabolismo de cardoidratos, gerando mais energia.
  11. O acompanhamento de um médico e nutricionista é fundamental para quem apresenta os sintomas da doença e busca um tratamento. Mas há também alguns hábitos que você pode mudar por conta própria para controlar o stress. São eles:
  12. Evitar alimentos industrializados e embutidos
  13. Evitar o consumo excessivo de alimentos ladrões de energia, como sal, açúcar e café
  14. Evitar o fumo e o álcool
  15. Aumentar ingestão de água (mínimo de 8 copos  por dia)
  16. Alimentar-se  de 3 em 3 horas
  17. Tenha uma atitude positiva sempre. Isto faz o estresse ficar longe.
  18. Reduza seu estresse existencial fazendo algo que lhe dê prazer. Ler, ouvir uma bela canção, ver uma obra de arte, dançar ou simplesmente meditar não são coisas materiais e podem, sim, lhe proporcionar um sentido de alegria.
  19. Busque a felicidade e esteja certa de que ela não vive atrelada ao dinheiro e pode estar nas coisas mais simples.
  20. Procure retirar o aprendizado da dificuldade que a vida está lhe mostrando. Pois nada é por acaso
  21. Sorria…. Sorrir diminui o estresse: Isto porque “durante uma sessão de gargalhadas, os níveis de cortisol e adrenalina – hormônios do estresse – diminuem”. O cérebro passa a produzir endorfina, hormônio que proporciona o relaxamento.
  22. Ame…  Viva seu hoje. Aprenda a viver o agora! Pois é um presente que a vida lhe oferece todos os dias

     

    Contribuição

    revista LES NOUVELLES ESTHÉTIQUES- ANO XxiV DEZEMBRO 2013

    http://dietaja.uol.com.br/

Eroni Lupatini graduada pela Faculdade Assis Gurgacz. Especialista em Docência do Ensino Superior – UNIPAN. Extensão universitária em: Fitoterapia para Nutricionistas. –Nutrigenética e Câncer – Cuidados nutricionais e metabólicos pré e pró cirurgia bariátrica; Nutrição e Suplementação especializada no esporte: da teoria à prática; Nutrigenômica e Nutrigenética: implicações práticas na nutrição clínica; Nutrição e Saúde nos ciclos de vida da mulher: suplementação de nutrientes e fitoterápicos; Funcionais, fitoterápicos e suplementos. Workshop de Fitomedicina e Fitoterapia aplicados à nutrição; Nutrição esportiva funcional; Capacitação em dietoterapia vegetarianaFisiologia da obesidade, da síndrome metabólica e da redução do peso corporal; Nutrição na terceira idade: do diagnóstico ao tratamento; entre outros. Atendimento a gestantes, lactentes, crianças, adolescentes, adultos e idosos e em pré e pró-gastroplastia. Fitoterapia aplicada a nutrição. Terapia Floral- MTC – ortomolecular, auriculoterapia. CRN 4298.

 

Deixe um comentario

Artigos
Meu Twitter: