PostHeaderIcon TRANSTORNOS ALIMENTARES

Transtornos alimentares são perturbações caracterizadas por graves alterações no comportamento alimentar. Tais alterações podem levar ao emagrecimento excessivo, obesidade, problemas físicos ou mesmo incapacidades.1

A ocorrência de transtornos alimentares em mulheres jovens é bem maior que em homens, chegando a uma taxa de quase 10 mulheres acometidas pelo problema para cada homem diagnosticado. 1

Marcados por extremos, os transtornos alimentares possuem origens muitas vezes em traumas ou obsessões desenvolvidos ao longo da vida, motivo pelo qual é tão comum a associação de transtornos alimentares a problemas psicológicos, como transtornos do humor ou da personalidade, ansiedade, depressão ou mesmo o abuso de substâncias. 1

Tais problemas acometem geralmente pessoas do sexo feminino, entre os 13 e 17 anos, mas nada impede que pessoas de outros perfis também sejam, como é o caso de atletas. Alguns relatos apontam o desenvolvimento de transtornos durante a fase da infância ou mesmo mais tarde, na vida adulta. A maior incidência de transtornos alimentares acontece com: atletas, modelos, adolescentes,  homossexuais e profissionais que dependem da imagem de seu corpo como parte de seu trabalho. 1

Os tipos mais comuns de transtornos alimentares são: a compulsão alimentar, a anorexia, a bulimia  a vigorexia1 e a ortorexia2

A compulsão alimentar: traduz-se por um desejo incontrolável de consumir alimentos, podendo se restringir a somente um grupo específico de alimentos (geralmente guloseimas) ou a qualquer tipo de alimentos, podendo ser responsável diretamente pelo aumento do risco de obesidade bem como de outros problemas de saúde, como doenças cardiovasculares. 1

A anorexia: caracteriza-se pela preocupação excessiva com a forma física, levando o indivíduo a uma obsessão, acreditando sempre estar acima do peso, mesmo apresentando um peso muito abaixo para a sua estatura ou idade. Muitas jovens e pessoas do meio artístico (atores, cantores, modelos, etc.) sofrem de anorexia em algum nível de intensidade, por desenvolverem uma preocupação excessiva com a manutenção de seu peso. 1

A bulimia: apresenta certos sintomas indicadores de possível compulsão alimentar, acrescida do sentimento de culpa, que leva muitas pessoas a ignorarem uma das refeições principais ou mesmo a induzirem o vômito.A bulimia é assim caracterizada por períodos em que a ingestão de alimentos é exagerada, seguidos por sentimentos de culpa que podem levar a pessoa a prejudicar-se na tentativa de expelir o excesso. 1

A vigorexia:  obsessão pelo corpo perfeito similar à anorexia, com a diferença de que a preocupação excessiva é com a prática de exercícios físicos, motivo pelo qual é conhecida como overtraining em inglês, que significa excesso de atividade física. Devido à intensa atividade física, o corpo começa a reagir com sintomas como insônia, falta de apetite, irritabilidade, desinteresse sexual, fraqueza, cansaço constante,  dificuldade de concentração e outros. Quando tais sintomas começam a despontar, está na hora de refletir sobre sua “jornada” de atividades físicas. 1

A ortorexia, que é a obsessão pela alimentação saudável é um transtorno alimentar recentemente diagnosticado, que surge quando a pessoa se torna obsessiva quanto aos padrões daquilo que come. Ao contrário da anorexia ou bulimia, a pessoa permite-se comer, mas fica tão obcecada com o que come que todos os seus pensamentos ficam ocupados com a dieta. 2-3-4

 

MEDIDAS PREVENTIVAS;

Transtornos alimentares devem ser observados, como doenças, debilidades do organismo com causas biológicas e psicológicas complexas, exigindo portanto cuidados quanto à prevenção e ao tratamento médico. 1

No caso de atletas e outras pessoas que praticam atividades físicas intensamente, o aconselhamento nutricional especializado é indispensável no tratamento destes transtornos. Estudos têm demonstrado que tais tipos de transtornos apresentam importante associação com comportamentos obsessivos e sintomas depressivos muitas vezes desenvolvidos no período escolar. 1

.O diagnóstico precoce bem como a adoção de um tratamento terapêutico adequado contribuem profundamente para o tratamento do paciente, e a alimentação, tem papel importantíssimo não somente em sua recuperação, mas também na resolução do problema. 1

Importante dizer sobre importância da participação de todos, do acompanhamento psicológico da pessoa ao desenvolvimento de atividades interessantes que lhe permitam não somente a promoção da reeducação alimentar e a prática de exercícios físicos saudáveis, mas também a compreensão de como deve cuidar de seu próprio corpo. 1

O ser humano não é somente corpo ou mente, a muito, a ciência tem comprovado que ambos andam juntos, um dependente do outro e um influenciando o outro. Por isso, a importância de se manter mente e também corpo saudável através de boas práticas. 5

Todos os transtornos denunciam o desvio do que deveria ser a preocupação natural com a saúde, pois revelam uma condição limitadora e triste, em que os cuidados naturais com a saúde e a vaidade se exacerbam a ponto de se tornarem um cárcere emocional que tolhe a vida em suas manifestações mais diversas, e rouba das pessoas o prazer em nutrir-se com alimentos de qualidade, pois quem sofre com transtornos alimentares, perde a espontaneidade e a satisfação em alimentar-se. 6

O tratamento dos transtornos alimentares se converte em uma delicada situação pois pessoas vitimas dessa problemática não reconhecem seu comportamento como algo inadequado. Quase sempre consideram seu relacionamento com a comida a forma mais natural de agir, quase um estilo de vida. 6

Considerando o reforço social no que tange a exigência de um corpo magro e conceitos de beleza uniformes que desrespeitam a individualidade das pessoas, torna-se difícil uma intervenção bem-sucedida. Especialmente porque fatores econômicos também fazem parte da construção do problema. 6

Quanto mais insatisfação com o corpo e com a vida, mais estímulo ao consumo de produtos de beleza, roupas, propostas milagrosas de rejuvenescimento e dietas milagrosas que prometem emagrecimento rápido e sem sacrifício. Devido a fatores dessa natureza, o tratamento mais eficaz deve consistir em dar atenção às disfunções alimentares antes que essas se transformem em transtornos. Disfunções alimentares são desvios que ocorrem no comportamento alimentar. O organismo precisa de nutrição e cuidados para que possa funcionar adequadamente, exercendo suas funções de forma a promover saúde. Quando ações são adotadas de forma a comprometer o funcionamento do organismo, promovendo déficit na qualidade da saúde, o corpo num todo sempre  padece. 6

As disfunções alimentares não chegam a comprometer tão drasticamente a rotina alimentar e a saúde global das pessoas, como ocorre com os transtornos alimentares. No entanto, a somatória de pequenos atos podem conduzir às disfunções mais graves e até a desembocar no mar destrutivo dos transtornos alimentares. É importante notar que os transtornos alimentares não ocorrem de uma hora para outra. 6

NUTRIÇÃO SAUDÁVEL PODE AUXILIAR….

As práticas de boa nutrição podem ajudar a prevenir transtornos alimentares. Os jovens vão buscar a sua imagem corporal e auto-estima ao mundo que os rodeia. Envolver as crianças na preparação da comida e ensinar-lhes a reconhecer imagens corporais realistas pode prepará-las para hábitos saudáveis que podem ser-lhes úteis ao longo da vida. 2

Ajudá-las a focarem-se na boa saúde e alimentos saudáveis em vez do seu peso e do que a balança diz. As crianças podem ser atarracadas mas saudáveis se comerem alimentos corretos e fizerem exercício. Ensinar as crianças a comer quando têm fome e não por razões emocionais. Deixá-las saber que não há nenhuma boa razão para terem de passar fome. Não criticar o peso de uma criança nem se queixar do seu tamanho. Desenvolver previamente planos de comida saudável e manter-se firme neles. 2

Procure sinais de aviso que possam indicar que uma pessoa jovem possa estar a caminho de um  transtorno alimentar ex: contar obsessivamente as calorias de tudo o que come, só comer “dieta” ou alimentos baixos em gordura, dizer que está gorda quando de fato está muito magra, abusar de laxantes, pesar-se constantemente e fazer exercício em excesso. 2

O comportamento alimentar é um aspecto importante no estilo de vida possuindo grande influência na saúde ou doença. Prevenir doenças implica em aprender novos hábitos e mudar maus hábitos de vida. Certamente é mais fácil aprender e implantar o quanto antes, possíveis hábitos saudáveis do que mudar velhos hábitos já estabelecidos, aí a importância dos pais na educação dos filhos ainda na infância. 5

Os hábitos não saudáveis adquiridos na infância e juventude podem comprometer direta e irreversivelmente, tornando-se hábitos firmemente estabelecidos que difícil ou demasiadamente tarde sejam mudados.5

 

como usar a nutrição para prevenir transtornos alimentares?

 

● Alimentos integrais concedem nutrientes que revitalizam o corpo. O pão de centeio integral, arroz integral, fruta e legumes frescos e carnes magras darão aos corpos desgastados um aumento de energia. As comidas processadas oferecem açúcar, xarope de milho com alto teor de frutose, gordura, cereais refinados e muito pouco no que diz respeito a nutrientes; . 1

● O cálcio presente em produtos lácteos magros e vegetais folhados ajudam a fortalecer os ossos e os dentes. As dietas excessivas roubam cálcio aos ossos, tornando-os frágeis. As jovens que sofrem devido a um transtorno alimentar mostraram ter uma massa óssea semelhante à de mulheres idosas. Para além do mais, vomitar em excesso destrói o esmalte dos dentes; . 1

 

● Carnes magras, legumes e peixe proporcionam as proteínas necessárias das quais um corpo mal nutrido precisa; . 1

● Os ácidos gordos do Ómega 3 encontrado no peixe, ovos e nozes, estimulam o coração. Quem sofre de anorexia corre o risco de ter problemas cardíacos e arritmia cardíaca pois o corpo não tem gordura suficiente para sustentar o funcionamento cardíaco; . 1

● Os líquidos e sódio da água e bebidas desportivas são necessários para restabelecer o equilíbrio de eletrólitos e restituir a perda de água devido à desidratação provocada por vomitar em excesso, ou pelo uso de laxantes e de diuréticos. 1

 

 

 

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

  1. Revista Nutrição em foco – Posted by on November 19th, 2009 in Doenças-http://www.nutricaoemfoco.com/2009/11/19/os-transtornos-alimentares/

 

  1. Alimentação saudável – o seu guia de nutrição http://www.alimentacaosaudavel.org/Transtornos-Alimentares.html

 

  1. SCHAF,M.net/portal2/index.php?option=com_content&view=article&id=116:ortorexia-a-obsessao-por-uma-alimentacao-saudavel&catid=13:noticias&Itemid=122

 

  1. Alimentação Saudável – O seu guia de nutrição http://www.alimentacaosaudavel.org/Ortorexia.html
  2. ARAÚJO, SMM – A INFLUÊNCIA DA FAMÍLIA NA PREVENÇÃO E TRATAMENTO DOS TRANSTORNOS ALIMENTARES: http://www.webartigos.com/articles/64847/1/A-INFLUENCIA-DA-FAMILIA-NA-PREVENCAO-E-TRATAMENTO-DOS-TRANSTORNOS-ALIMENTARES/pagina1.html#ixzz1X1CN8AKD

 

  1. Revista Vida e Saúde -http://www.receitasparaemagrecer.com.br/?c=Disturbios%20Alimentares&n=164

 

Eroni Lupatini é nutricionista formada pela Faculdade Assis Gurgacz. Especialista em Docência do Ensino Superior – UNIPAN. Extensão universitária em: Fitoterapia para Nutricionistas. –Nutrigenética e Câncer – Cuidados nutricionais e metabólicos pré e pró cirurgia bariátrica; Nutrição e Suplementação especializada no esporte: da teoria à prática; Nutrigenômica e Nutrigenética: implicações práticas na nutrição clínica; Nutrição e Saúde nos ciclos de vida da mulher: suplementação de nutrientes e fitoterápicos; Funcionais, fitoterápicos e suplementos. Workshop de Fitomedicina e Fitoterapia aplicados à nutrição; Nutrição esportiva funcional; Capacitação em dietoterapia vegetarianaFisiologia da obesidade, da síndrome metabólica e da redução do peso corporal; Nutrição na terceira idade: do diagnóstico ao tratamento; entre outros. Atendimento a gestantes, lactentes, crianças, adolescentes, adultos e idosos e em pré e pró-gastroplastia. Fitoterapia aplicada a nutrição. Terapia Floral- MTC – ortomolecular, auriculoterapia. CRN 4298.

Deixe um comentario

Artigos
Meu Twitter: